300 dias na estrada


Hanói, 13 de dezembro de 2011

300 dias na estrada. 23 países. 97 cidades povoadas e 4 cidades perdidas. Milhares de cristãos, mulçumanos, budistas, hinduístas e uma dúzia de outras religiões. 4 páginas vazias restantes no passaporte. E nenhuma musiquinha de natal ouvida até agora. Depois de rodar por Europa, África, Oriente Médio, Ásia Central e parte do Sudeste Asiático, acumulamos milhas em vivências diversas. Viajar virou uma gostosa rotina. Acordar cedo, arrumar a mochila, lidar com culturas diferentes, aprender, deslumbrar, deslocar e dormir em uma cama diferente. Como toda rotina, tem aspectos que nos agradam mais e outros menos. Só não tem havido espaço pro tédio. No balanço dos 300 dias, paramos pra pensar nos prós e contras de viver com o pé na estrada e nas emoções que experimentamos diariamente.

Aproveitando o dia no barco em Ha Long Bay - Vietnã.

Existem coisas que adoramos fazer a cada novo destino. Por exemplo, aprender um pouco da língua, nem que seja “olá”, “obrigado” e “tchau”. Nessa brincadeira, foram 19 formas diferentes de falar essas 3 palavrinhas. Também gostamos de devorar o Lonely Planet da próxima parada, além de pesquisar na Internet e contar com as dicas de outros mochileiros que cruzamos pelo caminho. E entre os maiores prazeres, ler os quase 1200 comentários feitos aqui no blog. Conhecer e depois reencontrar pessoas na estrada, como os amigos Tabhitha, Paloma, Juan, Ivo, Jordana, Goda, Brandon, Guerra, Fellipe etc. Todos eles rodando também por esse mundão.

Com amigos espanhóis e a inglesa Tabhitha, devorando um pato assado em Beijing.

Por outro lado, têm aquelas coisas chatas que não gostamos, como o assédio de vendedores, guias, pilotos de táxi, barco, tuc-tuc, camelo ou seja lá o que for. Na realidade, recebe a nossa desconfiança qualquer um que se aproxime de uma forma excessivamente simpática oferecendo ajuda sem que a gente sequer pareça ter algum problema. Que nos perdoem os 0,1% que fazem isso de forma bem intencionada, é que se aprende rápido que em qualquer lugar do mundo existem picaretas tentando separar os estrangeiros de seu dinheiro. A gente também não gosta de quem deixa uma unha enorme apenas pra limpar o nariz, joga lixo na rua ou não faz nem respeita filas, comportamentos bem comuns em alguns países da Ásia.

No Egito os vendedores surgiam de todos os lados!! Até de pequenos barcos...

Existem certas rotinas que não são lá tão agradáveis, mas estamos muito bem acostumados. Arrumar as mochilas é um bom exemplo. Assim como rodar com elas atrás de hospedagem ou transporte. Temos também que configurar a cabeça pra cada nova moeda, no princípio convertendo os valores pra dólares, euros, reais ou a moeda do país anterior (o que for mais fácil) até que a gente restabeleça um padrão do que é caro e barato. Grandes deslocamentos é outro “inconveniente” que tiramos de letra. Afinal, foram várias viagens de 20 ou mais horas de ônibus e até uma de 44 horas de trem entre Beijing e Lhasa.

Mochila nas costas pra pegar o ônibus, dia a dia de viajante!

Quando falamos que somos do Brasil, as reações normalmente são muito positivas. E isso é ótimo! Contudo, têm coisas que a gente não agüenta mais ouvir, como a tradicional preleção de craques brasileiros: Ronaldo, Kaká, Pelé. Chegamos ao nosso limite de tolerância quando falam… Maradona! Também dá preguiça ter que negociar absolutamente tudo o que precisamos comprar, como no Marrocos ou na Índia. Barganhar por uma souvenir na feira é até gostoso, mas pra comprar água na lanchonete é um pouco demais.

Nós, brasileiros, somo muito bem recebidos em qualquer lugar do mundo.

A adrenalina rolou solta esquiando com o Vanildo nos Alpes franceses, mergulhando com o Santiago e alguns tubarões brancos na Cidade do Cabo e circulando pelas estradas do Nepal. Lá também nos divertimos no lombo de um elefante, enquanto no Laos foi na gaiola de um balão. Brincamos de “caminhar sobre a água” no Mar Morto e de falar “mineirês” na varando do Bob em Roterdam. E demos intensas gargalhadas vendo fontes de parques começarem a jorrar inesperadamente encharcando uma criança em Londres e um senhor em Shanghai.

Dia de esqui perfeito com o Vanildo e uma turma de brasileiros.

Fazendo palavras cruzadas no mar morto.

A inglesinha tomou o maior susto com a água! E a gente se divertiu!

Comer é mais um aspecto formidável de viajar. Deliciamos com a comida de rua de Bangkok, com o Amok no Camboja e com a culinária chinesa em geral. Aliás, foi na China que comemos o melhor japa de nossas vidas. Mas, tradição é tradição, e é pra Itália que tiramos nosso chapéu. As pizzas em Roma, o pesto em Cinque Terre e os gelatos por toda parte… inesquecíveis! Na hora de beber, destaque para a ginginha com chocolate de Sintra, o suco de laranja de Marrakesh, os shakes de frutas do Laos e o café com leite em todo o Sudeste Asiático.

Comida de rua não precisa ser "junk". Em Bangkok encontramos uma barraquinha com uma salada deliciosa!

Ah, as comidas na Itália. Tudo delicioso e lindo!

Vai um "gelato" aí?

Ficamos encantados com diferentes pessoas, cidades e experiências. Alguns lugares lembraremos de forma especial. Como os detalhes dourados dos templos da Tailândia e as curvas de Gaudi em Barcelona. O azul do mar nas ilhas gregas e dos lagos no Tibet. As obras renascentistas na Itália, a vista do Himalaia a partir de Poon Hill e a interação entre natureza e história em Angkor.

No Parque Guell, uma das obras mais impressionantes de Gaudi.

A vista magnífica do Poon Hill, no Himalaia.

O entrosamento entre os templos de Angkor e a natureza é realmente impressionante.

Para aliviar a rotina incessante de viagens, relaxamos em um barco de bambu em Yangshou e numa câmera de pneu no tubing de Vang Vieng. Paramos pra ver o sol se pôr nos rios da África e nascer em Halong Bay, no Vietnã. Nos estiramos nas areias de Mykonos e nos esbaldamos nas massagens da Kao San Road em Bangkok.

O mar transparente de Mykonos.

Dia de sol perfeito no rio Li admirando a paisagem.

O tempo longe dá saudades da família, da unha feita no salão e do happy hour com os amigos. A Letícia não queria ter perdido o nascimento da sobrinha Marcela, nem os casamentos da Lele, da Fê Borelli e da Dani Nishimura. O Fred não queria ter perdido para o Once Caldas.

No Alto do Sacrifício, em Petra. Sugestivo, não?!

Algumas coisas chocaram. Saber do picadinho de gente no funeral tibetano e presenciar o ritual de cremação em Varanassi foram momentos marcantes. Dentista atendendo na rua em Jaipur foi surreal. E os espetinhos de inseto nas ferinhas de comida não chegaram a abrir nosso apetite.

Encarar o dentista de rua só com muita coragem...

E os espetinhos de inseto... mais que coragem, precisa de estômago!

Certos lugares eram obrigatórios em nossa lista. Mega-atrações cercadas de expectativas. E a maioria não decepcionou. Estão nessa lista as pirâmides do Egito, Petra, os safáris pela Namíbia, Victoria Falls no Zimbábue, a Grande Muralha da China, o Everest, o Taj Mahal e Angkor Wat.

O Taj Mahal é estonteante! Mas, por essa a gente já esperava... :-)

Nos dias de safari ficávamos com os olhos e ouvidos alertas na expectativa de algum animal selvagem.

A imensa e impressionante Muralha da China.

As incríveis pirâmides do Egito.

Outros não estavam planejados ou não esperávamos maiores emoções. Mas, perdemos o fôlego com as cavernas de Ellora e com o Deserto Branco no coração do Saara. O debate entre monges tibetanos, cheio de dramaticidade foi uma vivência única. E o alto astral e descontração de Tel-Aviv surpreendeu.

Uma das grandes surpresas da viagem! As cavernas escavadas de Ellora, na Índia.

A beleza surreal do Deserto Branco também foi surpreendente.

O debate dos monges pareceu algo de outro mundo.

Para fechar a retrospectiva, algumas de nossas grandes paixões da viagem. A Helena, companheira de estradas africanas, estará sempre em nossos corações. Os pandas em Chengdo foram impagáveis. Deslizar lentamente de mokoro em Botswana foi pura satisfação. O mar de nuvens aos nossos pés em Huang Shan foi quase cruel de tão lindo. E sentimos a mais primordial alegria na simplicidade de uma passeio de bicicleta em 4.000 Islands, no Laos, ouvindo Chico e Jorge Benjor.

Os dias na Helena foram inesquecíveis!

Em Huangshan vimos o nascer do sol mais lindo de nossas vidas.

Nos mokoros passamos pela beleza das águas de Botswana.

E agora, passados 300 dias, entramos na reta final? Difícil pensar dessa forma. Com mais de 2 meses pela frente, sabemos que ainda temos muita coisa pra viver. Muito sol vai se pôr e vamos curtir a rotina, deliciar, encantar, surpreender, apaixonar e, por fim, relaxar outras tantas vezes. Há um bom pedaço de caminho a construir nessa jornada e mal podemos esperar pelos dias que virão!

Esse post foi publicado em Destinos e marcado , , . Guardar link permanente.

61 respostas para 300 dias na estrada

  1. Rosângela disse:

    Fred e Letícia,
    Esse resumo é mais uma das maravilhas desse blog.
    Já estou ficando tão inserida na viagem de vocês, que ao ler esse post me peguei varias vezes recordando os momentos que relataram. Com a minha empolgação acabei passando o link do blog de vocês a alguns amigos.
    Beijos. Rosângela

  2. Fernanda disse:

    Uau!!! Que delícia, gente! Ler este post me fez mochilar um pouquinho pelo mundo com vcs :-)
    Nossa! Tanto lugar legal, programas interessantíssimos e novidades mil! Muito bacana!
    Fredoca, como vc já deve ter percebido, não sou uma amiga muito presente no mundo virtual, né?! Trabalhar demais no computador me faz não querer nem chegar perto de um nas horas vagas. Rs! Mas, que bom que entrei no Face para desejá-los boas festas e me deparei com esta maravilha de post que me ajudou a dividir com vcs estes “momentos lindos” :-)
    Que os próximos 65 dias continuem sendo de pura emoção e aventura nesta rotina gostosa de viagem e que 2012 chegue com o frescor das descobertas e dos aprendizados deste sonho real de vcs!
    Um abraço apertado em cada um como o que eu gostaria de dar no dia da virada!
    Bj grande, queridos!

    • Feuds! Qta saudade!
      Vcs não aparece mto virtualmente, mas está sempre em nossas mochilas!
      Abraços apertados trocados pra hora da virada, sentiremos falta de vcs!
      Bjos

  3. Marina disse:

    Acabando de ler o blog de vocês já senti uma saudade funda e antecipada das notícias de vocês que habitualmente acompnho como a novela das 08h00 rsrsrsrrs…É como viver através de vocês aquilo que por algum motivo não terei oportunidade!!!! Obrigada por nos proporcionar uma imensidão da beleza que se pode encontrar expressas em diferentes geografias, idiomas, culturas…..beijos

  4. Denise Telesca disse:

    Let e Fred!
    Não há um HH que fazemos e que não lembramos de vocês!!
    Espero que em 2012 possamos saborear as inúmeras histórias de vocêes tomando uma bem gelada!
    Beijos com saudade,
    Denise.

    • Denise! Lembramos de vc sempre que usamos o telefone. Lembramos agora q precisamos de internet e não encontramos. :D E, claro, sempre lembramos morrendo de saudades desses hh… Bjos!

  5. Olá Fred e Letícia.
    Acompanho o blog de vocês desde o início, mas somente hoje deixei a preguiça de lado para comentar.
    Trabalho em uma agência de viagens e estou sempre acompanhando suas novidades para poder oferecer a meus clientes essas informações repassadas por vocês e que nenhum guia de viagem oferece.
    O texto de vocês é de muita qualidade e agradável para ler, além das fotos que são de extrema qualidade e beleza.
    Tenham mais 60 dias maravilhosas de muito aprendizado.

    Um abraço

  6. Pedro disse:

    Mal posso esperar para conhecer outros lugares além do Brasil.
    É tanta coisa pra ver! Tanta cultura, beleza natural, tanta gente, comida, costumes, antiguidades…
    Já tenho essa meta de vida também: mochilar!
    Viver toda a vida em um só lugar soa estranho, preciso conhecer outros lugares. Tenho a sensação de que estou perdendo alguma coisa (do outro lado do mundo).

    • Grande, Pedro! Tem coisa acontecendo no mundo todo, a que vc não pode perder é a q estiver rolando na sua frente. Mas, vale mesmo à pena checar em vários lugares ehehehe Abraços

  7. Roberta Nora disse:

    Vi o blog de vocês anunciado no mochileiros.com!

    Viagem sensacional, tudo de bom, hein!

    Torço para que esses últimos 65 dias sejam tão emocionantes e inesquecíveis como têm sido até agora…

    Abraços e boa viagem!

  8. Anônimo disse:

    Gente do céu,
    Passei os dois ultimos meses bem atribulados, muito trabalho, provas na faculdade.
    E sempre ficava com saudades deste blog.
    Hoje como devo trabalhar até um pouco mais tarde, passei aqui para matar saudade…
    Incrivel esse resumo de voces, a sensibilidade que voces escrevem , me faz sentir a sensação do que é esta vida de mochileiro.
    Muita saude a voces, e coloquem mais estorias aqui para nós

    beijos!
    Fiquem com Deus!

  9. Santiago e Leticia disse:

    Olá Fred e Let, ficou ótima a retrospectiva, que aventura! Adoramos ser lembrados…

    Destaque para a classe com que a musa do blog saltou do barco no Vietna. Nada como anos de ginástica olímpica e circo, rsrsrs.

    Já estamos no clima no natalino por aqui e lembramos com saudades das festas no ap de vcs.

    • Amigos!!
      Aquele salto da Letícia do barco pra água não foi nada, vcs precisavam ter vito ela saltando da água de volta pro barco! Mtos anos de treino…
      Saudades de vcs! Honestamente, com mta chuva e trânsito mais infernal típicos do perído natalino, o q dá saudades de São Paulo nessa época do ano é receber vcs em casa pra uma festinha.
      “P.P.”
      Bjos!

  10. Anônimo disse:

    Letícia e Fred,
    Tenho acompanhado esta aventura e estou curtindo junto com vocês e sonhando com a Cidinha (minha esposa). Estou conhecendo fotos (maravilhosas) e lugares que jamais imaginei. Parabéns pelos 300 dias, continuamos na torcida. Sou parceiro de caminhada do seu pai (Dr. Hermogenes) em Cabo Frio e obviamente muitas vezes vocês e suas viagens são assuntos de nossa caminhada que passa num piscar de olhos e os meus conhecimentos só aumentando….
    Abração,
    Luiz Carlos 14/12/11

  11. Luciana Roldão disse:

    Lindo texto, linda viagem e uma bela admiração pela experiência de vocês. Parabéns! bjs

  12. maria aparecida disse:

    É sempre muito agradável receber e ler as narrações de vcs. Eu complementaria nisso tudo o destaque à palavra ‘nós’. Parabéns pelo companheirismo . Avante!!!

  13. Marcela Tiellet disse:

    Apenas para parabenizar pelo excelente texto e fotos, que me deixaram com os olhos cheios d’água. Beijo grande aos dois e sucesso nos 65 dias por vir…

  14. Anônimo disse:

    MEGA SUPER HIPER PLUS SENSACIONAL!

    Rochinha.

  15. Alexandre disse:

    Fala, Fred !
    Que barato essa sua viagem, meu amigo… inveja boa de você…
    Cara, eu e o Fábio Aniello (o Sam, nosso amigo em comum) fechamos o Brasil. Todos os estados. Recomendo a vocês fazerem.
    Quando voltar e estiver por Sampa me avisa, queria trocar idéia contigo sobre isso que vocês fizeram, ter umas dicas, etc…
    Curta o restante aí ! Agora estou acompanhando tudo pelos artigos que publicar aqui.
    Abração !

    • Valeu, Ale! Acompanhei a evolução do projeto, lembro dele qdo ainda era só uma coisa que o Sam falou q ia fazer, mas ninguém levou a sério ehehehe… Bacana, conversamos sim! Abração

  16. Cibele Ruas disse:

    Caraca já se foram 300 dias, mas tem mais 65, que também é muita coisa.
    E quando a gente pensa que já conheceu coisa o bastante sempre tem mais…
    É extraordinário este blog, e os posts sempre interessantes.

    Vocês as vezes não se perguntam se tudo isso é real mesmo?
    Sei lá, se fosse comigo eu teria que todo dia me lembrar que é de verdade.
    Parece um sonho bom.
    Ainda bem que tem o blog, fotos e todas as tesmunhas que acompanham por 300 dias.
    Doido de mais….

    Bjos, Cibele.

    • Às vezes bate uma dúvida se é real mesmo, aí a gente tem q encarar umas 20 horas de ônibus e pensa: é, fosse sonho, pulava essa parte rs… Valeu, Cibele!! E aproveite sua viagem que tb vai ser doida demais! Bjos

  17. disse:

    :´)
    sem palavras!!!!

  18. Amanda disse:

    É difícil até escrever! Primeiro porque o desejo é tentar deixar uma mensagem a altura da qualidade da escrita e da estética dos posts de vocês. Segundo porque eu não encontro palavras que descrevam as sensações que tenho por dentro ao ler cada parte e mergulhar em cada imagem. Acho que é até por isso que não tenho me manifestado tanto, pois, confesso, sou viciada no Mochilando pelo Mundo, de verdade.
    Sinto saudade de vocês e me entristeço por saber que neste ano não estaremos juntos na Virada. Mas nada é maior do que a felicidade e a satisfação de saber que vocês estão bem, felizes e vivendo experiências inesquecíveis e enriquecedoras.
    Amo vocês!

    • Amanda, vc nos coloca numa situação difícil pq tb nos vemos na obrigação de dar uma resposta a altura da qualidade do comentário! rs… Sentiremos sua falta no nosso ano novo por aqui tb. Mas, tudo se acerta no carnaval! :) Bjos!

  19. Kécia disse:

    Maravilhoso este post!!
    Como tudo o que tem sido postado… não é novidade mas este em especial por resumir toda a aventura na estrada até o momento e nos presentear com outras fotos igualmente belas…
    Adorei tudo, as fotos e o texto tbm que é muito bem escrito e nos leva a conhecer junto e princ. a sonhar com cada paisagem mais linda que a outra…
    Que venham mais 2 meses plenos como tem sido desde o início da aventura!!
    Bjos.

  20. todesmcgodes disse:

    That all sounds amazing! Your trip looks to be so all encompassing! I hope to some day see some of the things you saw. O and maybe we’ll come visit you in Brazil when you get back! Enjoy the rest of your trip! And we’ll keep reading. :D

    • Hello guys!
      So glad you keep reading! This trip has a lot of great moments! And what about China? We have been seen some incredible pictures! Are you going to spend new years eve there?
      And we’ll be waiting for you in Brazil! Maybe you can come for the World Cup? You know, that game called football – or soccer – that that guy called Pelé (we told you about him) used to play. :)
      Seriously, you´re very welcome!

  21. Rafael disse:

    Estou na estrada há 63 dias e já tenho dificuldade de listar todos os momentos, todas as histórias, todos os aprendizados… Imagino como vai ser quando eu chegar nessa marca, a de 300 dias. No mais, compartilho com você a preguiça de barganhar por todo produto. Não nasci para lutar por isso, que é tão comum na Índia.

  22. Hermógenes disse:

    Letícia e Fred: saudades!
    O poder de síntese é característica fundamental do bom escritor.
    Vocês conseguiram, com brilhantismo, navegar pelos 300 dias já viajados, mergulhando aqui e ali em busca de fatos que traduzissem a intensa vivência que até agora experimentaram.
    Li, não me lembro o autor nem o lugar, alguém que pedia desculpas por seu texto ter sido por demais complexo ao transmitir a idéia que pretendia, dizendo que para adequada síntese necessitava de mais inteligência, que ele alegava não possuir. Essa dificuldade vocês, em “300 dias na estrada”, claramente não tiveram.
    Conseguiram resumir informações extensas e complexas através do uso preciso e estético da linguagem!
    Isso é, antes de tudo, arte literária da melhor qualidade!
    A meu ver, o melhor post até o momento.
    Poesia pura!
    Maria do Carmo, que compartilha da minha fala, manda beijos!
    Parabéns e continuem aproveitando os dias que faltam!

  23. Ivaneide disse:

    São 23:00, eu já ia dormir ai lembrei que nunca mais tinha visto um post de vocës. Voltei para verificar e quando abri o gmail… lá estava este mavarilhoso post. Que bom que estão bem e continuam nos presenteando com essa maravilhosa experiëncia!! que Deus continue abencoando!!

  24. maria alzira terreira disse:

    REALMENTE É DE DAR UMA VONTADE LOUCA DE FAZER A MESMA COISA. VOCÊS ESTÀO FAZENDA NA HORA CERTA. cONTINUEM ESSA JORNADA COM ESSA MESMA ALEGRIA E COM A PROTECÀO DE DEUS. fELICIDADES!!!!!!! M, ALZIRA

  25. Rogério disse:

    Muito bacana, que experiência de vida inesquecível. Tava meio calado aqui nos comentários, será porquê? Né? kkkkkk Oddieeeeeeiii a foto do seis! kkkkkkk Vou começar a torcer pra algum time de cricket da índia. kkkkkkk

  26. Paula disse:

    Nossa, que fotos lindas..eu tenho uma foto ali mesmo no Parque Guell. Realmente viajar é uma das melhores formas da gente melhorar como gente..rs..Vou esperar as outras novidades. Em fevereiro estou indo passar 10 dias em Cancun e acho que lá também é tudo de bom.

    Bjs

    Paula

  27. Lucia Zaidan disse:

    Uaul, estou emocionada por vcs! Incrível pensar que já passaram por todos estes lugares maravilhosos. Minha próxima viagem será de 1 ano pelo mundo tb, com meu namorado. Estamos anotando as dicas!!!
    Parabéns! Somos seguidores com inveja da boa!

  28. Bethânia disse:

    Que fotos!!Que histórias para contar para filhos, netos, amigos etc…..
    Histórias que ficaram marcadas para vocês e para para deleite desses seguidores”invejosos”!!

    Bjão

  29. Olá Fred e Letícia
    Fazia algum tempo que não comentava por aqui, mas estava acompanhando atentamente cada publicação… É impressionante o quanto a viagem de vocês é capaz de me emocionar! Que venham os próximos dois meses!
    Bela viagem!

  30. uma palavra: emocionante e arrepiante só de ver/ler. imagine, viver…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s