entre budas, pandas e guerreiros de terracota


Shanghai, 14 de setembro de 2011

Antes da China virar sinônimo de produtos falsificados e crescimento econômico, a imagem que a gente fazia do País estava ligada a alguns poucos ícones: o budismo, os ursos pandas e os guerreiros de terracota eram as estrelas do nosso imaginário, faltando só a Grande Muralha pra lista ficar completa. E foi isso que vimos nos últimos dias em nossa passagem por Chéngdù e Xi’An. A China que a gente ouvia falar, quando a China não era tão falada como é hoje.

O Grande Buda - o maior do mundo!

O encantador panda.

Os guerreiros de terracota

As distâncias mais uma vez não foram fáceis de serem vencidas. Esperamos dois dias pra conseguir um ônibus de Dali pra Chéngdù e outras 22 horas pra chegar lá, com direito a ônibus quebrado e uma hora de revista policial no meio da noite. Imprevistos sem importância pra quem está com o pé na estrada. Chéngdù fica na província de Sishuan e é grande, mas fácil de circular. O trânsito complicado pode ser vencido pelo inexplicavelmente pouco utilizado metrô. Não tem tanto pra ver, o negócio é ir atrás das atrações nos arredores da cidade.

Nossa primeira parada: o Grande Buda de Lèshan. Grande mesmo, o maior do mundo com 72 metros de altura, 7 metros só de orelha e dedões do pé maiores do que um ônibus. O grandalhão já não é nenhum garoto. Completou 1.200 anos desde que foi escavado na encosta de uma montanha, bem no encontro de dois rios. Foi construído pra acalmar as águas turbulentas que afogavam os pescadores da região e o incrível é que funcionou! Buda pra alguns, conseqüência da própria construção colossal para os céticos, o fato é que as turbulências diminuíram por ali. Pelo menos, assim reza a lenda. O complexo tem outros atrativos: pagodes, pavilhões, templos e uma coleção de milhares de outros budas, entre eles o mais longo do mundo, deitado (não é a mesma coisa que o gigante sentado), com 170 metros. A moral da história é: quer ver Buda grande, o melhor lugar no planeta é Lèshan!

O outro destino foi a Giant Panda Breeding Research Base. O que dizer? Sensacional! Que nos perdoem os elefantes, girafas e leões do caminho, não há animal como os pandas. Gigantes de jeito dócil, parecem grandes bichos de pelúcia. Não fosse o “urso” em seu nome, era provável que a gente corresse pra abraçá-los… E nessa reserva, eles existem aos montes. Os machos adultos vivem sozinhos, os adolescentes em grupos que brigam bonachões pelos brotos de bambu do café da manhã e os bebês (esses feinhos) passam a maior parte do tempo em uma maternidade. Encantadores!

Cada um com seu delicioso pedaço de bambu.

De Chéngdù pra Xi’An, província de Shaanxi, nós finalmente pegamos um trem na China. Não foi por falta de recomendação: já tinham nos avisado que seria bom, seguro e barato. Porém, passando por cidades pequenas, a gente ainda não havia conseguido encaixá-lo no nosso roteiro. Não decepcionou. Acredite, demora mais do que o ônibus. Porém, se viaja deitado na cama com bastante conforto. Além disso, sem o estresse das estradas e motoristas chineses.

Preparados para a longa viagem com bolinhos chineses

Chegamos a Xi’An ainda de madrugada e fomos procurar a pé pelo albergue. Por sinal, um lugar bem interessante instalado em uma antiga vila construída na dinastia Ming. Cidade de 4,5 milhões de habitantes, Xi’An foi a primeira capital da China. Hoje, é uma metrópole que não dá refresco nem na sua parte mais antiga. A gente imaginou que encontraria um ar de centro histórico dentro das muralhas, mas não tem nada disso. Uma ou outra construção do passado e o resto é a China do início do século XXI, com a confusão de país subdesenvolvido e alguns lampejos de potência econômica. Os destaques ficam por conta da própria muralha – grande parte reconstruída recentemente – as torres do Sino e do Tambor – que são bem bonitas – e as animadas ruas do bairro islâmico. Antigo ponto de partida da Rota da Seda, Xi’An tem bairro islâmico com mesquitas em estilo oriental e tudo mais. O bairro também tem muitas lojinhas e boa comida de rua.

No albergue, uma vila bem aconchegante.

A mesquita com traços orientais

Drum tower, a torre do tambor

Contudo, o que mais interessa em Xi’An está no entorno da cidade, cheio de tumbas e sítios históricos. O mais importante é o famoso mausoléu do primeiro imperador da China, onde estão os guerreiros de terracota. Mais de 2.200 anos atrás, um verdadeiro exército com 8.000 guerreiros e cavalos feitos de terracota, em tamanho natural, cada qual com fisionomia própria (não existem dois iguais), de diferentes patentes e funções foram “sepultados” com o imperador para que ele continuasse suas guerras no além-mundo. Uma obra monumental redescoberta no começo da década de 70 e que, mesmo ainda não totalmente escavada, já se tornou uma das maiores atrações turísticas chinesas.

Esse post foi publicado em China e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para entre budas, pandas e guerreiros de terracota

  1. Mariana Cintra disse:

    Leticia e Fred,
    Passei a acompanhar a viagem de vcs na África (Lê, minha família toda já estava ligada) e estou encantada. Os relatos – sempre muito interessantes e ricos – entraram na minha categoria do “tem que ler”. E as fotos estão sempre incríveis tb. Parabéns! E viagem que segue, para vocês e para nós daqui também.
    Mariana Cintra

  2. iliana disse:

    fredoca e leticia,
    beijos da mama.
    enfim internet funcionando em getulio.

  3. Dalini disse:

    Fred, ler os posts de vcs é uma delícia. A gente viaja junto. Beijos

  4. Diego Poffo disse:

    Espetacular… ao menos um lugar e coisas interessantíssimas para ver.. aqui em Santa Catarina é só enchente e água pra todo lado.. Viajo junto com vocês nestas fotos e histórias.. muito obrigado por dividirem esse tempo conosco..

  5. Anônimo disse:

    Muito lindo tudo mininos!!! beijos da France pra China!!!!!!!!!

  6. Bethânia disse:

    Agora sim!Conseguimos!!
    Os guerreiros de Terracota tivemos a oportunidade de ver em Sampa,impressionante!Mas , eu queria mesmo era um Panda, que lindo!Tds as fotos estão lindas!(vimos vc lá em cima de braços abertos)rsrsr.
    Continuamos ávidos pelas boas novas!!
    Bj gde nosso

    • Os pandas são realmente especiais!! Vc viram eu lá, né!? E viram o tamanho da cabeça do Buda?! Enorme!! Vamos publicar novidades em breve, estivemos em Shanghai e o próximo post e sobre lá! Bjão!

  7. Shirley disse:

    ixi tem um ali sem cabeça na última foto rsrsrs… Kd fotos da muralha famosa???

    • ahahaha, têm váaaarios sem cabeça, sem braço, sem as mãos rs… Coitados, mais de dois mil anos soterrados não é mole não! E a muralha ainda está por vir, estamos a caminho de Beijing!

  8. Marcelo disse:

    Oi Fred e Letícia! Fantástico! Muito legal, dá vontade de estar aí com vocês o tempo todo…principalmente pela fisionomia de paz que vocês estão exalando!!

    Muita saudade!!
    Beijão!
    Marcelo!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s