circulando pelo interior da china


Ferrovia chinesa, entre Xi’an e Shanghai, 10 de setembro de 2011

Depois da retrospectiva dos 200 dias de viagem, é hora de voltar a falar da China. Em um país tão grande e com tanto pra ver, nos demos conta de que um mês não seria suficiente. De repente, estávamos apertados fazendo contas de como a gente sairia antes que o visto vencesse. Surgiu então uma ideia melhor que nos colocou a caminho de Shanghai. Vamos solicitar a prorrogação do visto e ganhar tempo pra que venha muito mais China por aí!

Voltando ao ponto onde paramos: visitamos a província de Yúnnán. Uma jornada épica de ônibus nos levou a Kunming, capital dessa região que é uma espécie de Bahia pros chineses – o destino preferido pra relaxar nas férias. Mas, Kunming é uma cidade grande e não tem cara de Bahia. O trânsito é uma loucura, como as motos fazendo o que querem. Pra elas, não há sinal fechado ou conversão proibida. Vão na mão, contra-mão ou na calçada. Milhões de buzinas tocando sem cessar… E quem está a pé que saia da frente.

No albergue, encontramos a prometida atmosfera relaxada da província. Temos dormido em lugares muito bons e, apesar do preço subir um pouco a cada passo em direção ao norte, uma boa cama em quarto privado continua bem em conta. Circulando pela cidade, vimos pagodes, portais e prédios bacanas. Nos finais de semana, os parques são tomados por pessoas dançando em grandes rodas ou cantando em caraoquês. Vimos isso em vários momentos e o que continua nos intrigando é como dançam e cantam mal apesar de tanto treino. Aparentemente, molejo vem no sangue e não é muito comum por esses lados…

Vimos coisas bizarras, como gente reunida pra maltratar uma galinha e práticas de medicina chinesa que assustam nossos olhos ocidentais desacostumados. E também coisas belas, como o milenar templo budista de Yuántong.

No templo budista de Yuántong

Um dos altares do templo budista

Pra quem vai à Kunming, um programa imperdível é passar um dia na Floresta de Pedra, cerca de três horas de ônibus de lá. É único. No lugar de árvores, essa “floresta” é formada por colunas de calcário que erguem-se aos montes, formando um labirinto cheio de sobes e desces, cantos escondidos e belezas inesperadas. Na saída, nossa recomendação é almoçar em um dos restaurantes locais antes de encarar o caminho de volta. Comemos muito bem nesse dia.

Na floresta de pedras

De Kunming fomos pra Dali, um famoso destino de mochileiros em Yúnnán. Vimos mais ocidentais do que de costume, mas nada que tirasse nosso status de atração turística. Os chineses continuaram a nos parar pra tirar fotos com eles e outras dessas rotinas de celebridades. O centro histórico de Dali é cercado por uma grande muralha com quatro portais protegidos por belas torres. É uma delícia, principalmente à noite quando as lojas, bares e restaurantes funcionam a todo vapor.

No centro histórico de Dali

A cidade não é grande e é bem turística. Fica espremida entre uma cadeia de montanhas e o Lago Erhai. Uma de suas principais atrações é a chamada Três Pagodes, cujo valor da entrada nos fez conhecer só da porta. As vilas em torno do lago também atraem os turistas. Percorremos uma parte da região de bicicleta e erramos os cálculos. Rodamos mais do que o saudável e quando chegamos em casa estávamos à beira da exaustão. Pra falar a verdade, nesse caso nem podemos dizer que valeu à pena. Não era tão bonito assim. O melhor de Dali é a própria Dali, com suas torres iluminadas, ruas animadas e prédios de arquitetura típica. Mais uma pérola no nosso caminho!

Na entrada da Três Pagodes

Lago Erhai

Interior de uma das torres do centro histórico de Dali

Esse post foi publicado em China e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para circulando pelo interior da china

  1. Bethânia disse:

    Olá!Recebemos o email avisando da nova postagen,mas parece que há algum problema com o Blog.
    Estou tentando ver as novidades,e não consigo!?
    Bj

  2. Leticia e Fred !!! O blog está muito legal !!! Uma pergunta: estou fazendo viagem parecida com a de vcs, agora estou em Pequim, e sigo pela china. Também tenho um blog no wordpress, porém como sabemos,a alguns sites na chna são proibidos, inclusive meu wordpress não consigo abrir … como vcs estão conseguindo postar daqui ??? Seu wordpress abriu normal ?? Obrigada pela ajuda !!! Sandra.

    • Olá, Sandra! Realmente a página de adm do wordpress não abre para login nas redes da China. Nosso “segredo” é usar a conexão do celular, de um pacote que contratamos no Brasil com a Claro, e usamos em roaming internacional. Com a conexão do celular conseguimos até acessar o facebook.
      Uma dica, se vc conseguir um esquema desse, ou uma VPN, basta usar para fazer o login uma vez, clique na opção “lembrar senha” e a partir daí vc consegue acessar na rede da china tb…

      • Obrigada pela resposta !!! Vcs são muito eficientes (não consegui colocar meu blog em dia até hoje … rsrsrs). Pena que não peguei esta dica com vcs ainda o Brasil … acho que agora já era … valeu pela ajudaaaaaa !!!
        Beijinhos,

  3. Bethânia disse:

    Olá Casal 20!
    Cada notícia uma linda e grata surpresa!
    As fotos estão brilhantes,e a trajetória cada vez mais interessante.
    A foto da Letícia com o leque está magnífica,parabéns!
    Beijo gde nosso
    Bethânia&Papai
    P.S:Pela primeira vez vi vocês com relógios,o tempo anda curto?
    Letícia está sempre com sua inseparável mochila de coraçõezinhos!

    • Nem fale isso pq a Letícia gostaria mto de ter opções de bolsas rs… Mas, a única opção é trocar pelo caminho. Essa de coraçõezinhos foi comprada em Londres e talvez fique pela China. Já os relógios, um deles é made in china e custou R$6, acredita?! É só mesmo pra não perder os trens, pq eu sou mineiro e mineiro não perde trem! Bjos

  4. Vanildo disse:

    A China parece fantástica, Fred e Letícia. Agora esperar molejo dos chineses, aí já é demais, né!? Qdo vcs chegarem ao Nepal, tenho um pedido… Abração!

    • Pô, mas vc não tem ideia. Os caras dançam o tempo todo, mas parece q começaram ontem rs… É bonito ver o esforço, mas o resultado, aff! O q q vc quer com o Nepal, hein? Tá com seus planos malucos de subir montanhas, né? A gente vai tentar ir ao acampamento base do Everest, no Tibet. O recado tem a ver com isso? Valeu, abração!

  5. Rosângela disse:

    Olá! Mais uma vez as fotos ficaram ótimas. Muito coloridas especialmente a do Centro histórico com Letícia, essa ficou barbara. Adorei! Bjs,

  6. Santiago disse:

    Fred e Let, fiz um catch up dos últimos posts e fiquei surpreso: nao sabia q a leticia era uma atleta (a amarela diz q sempre soube disso!Rs), q a China era tão maneira (a essa vcs ja devem dominar o idioma) e q o Fred eh o novo Sebastiao Salgado.
    Saudades dos nossos dias em Cape.
    Nos vemos na Tailândia.
    Abs.,
    Santiago

    • Faaala Santiago!!!
      Pois é, rapaz, Letícia começou ainda criança arrebentando os coleguinhas no judô! ehehehe… A China é maneira mesmo, coloque aí na sua lista, vale à pena! Agora, dominar o idioma tá quase… O problema é q não existe um mandarim. Cada região fala uma língua diferente. Então, ficamos com sotaque do sul e o povo aqui no norte tem dificuldades de entender a gente!
      E a Tailândia, vai rolar mesmo?! Estamos esperando vcs, hein…!
      Cape Town foi demais! Mto bom ter encontrado por lá!
      Abração!!!

  7. Anônimo disse:

    Fantástico!! Parabéns mais uma vez pelas fotos e relatos! Beijos. Camila

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s