a grécia que sempre sonhamos


Corfu, 02 de junho de 2011

Esse post é pra quem sonha com aquela Grécia das praias perfeitas de areias brancas e mar transparente. A gente, pelo menos, sonhava com isso. Dias de sol pra relaxar ora esticados na esteira, ora pulando de praia em praia na difícil tarefa de entender como um lugar poderia ser ainda mais bonito que o outro.

 

Andando em busca da praia perfeita (encontamos várias!)

 

 

De Santorini, fomos pra Paros, onde as encostas verticais dão lugar a um litoral recortado e cheio de praias. Encontramos de novo um ótimo hotel a preço de albergue em outra pechincha da baixa temporada. Chegamos ao final da tarde, ainda a tempo de aproveitar o pôr do sol jantando a dois passos do mar. No dia seguinte, saímos de quadriciclo pra rodar a ilha. Ah, a liberdade de parar quando quer, quando o mar é azul ou verde demais pra ser ignorado ou quando o calor cobra um mergulho urgente. Delícia! A vila de Naoussa é a mais gostosa, com restaurante, lojas, ruazinhas e pequenas passagens que formam um labirinto desses que valem à pena se perder. A vila de Lefkes fica nas montanhas e também vale uma visita despretensiosa. Paros é bem sossegada, um lugar pra levar a família e o cachorro.

 

Jantar com essa vista: que recepção em Paros!

 

 

Um mar desses exigia uma visita

 

A encantadora vila de Naoussa

 

O próximo destino foi a famosíssima Mykonos. Comparada com Paros, a ilha é mais animada, ainda mais bonita e também mais cara. É o destino de quem busca badalação. Sua vida noturna é comparada a de Ibiza e atrai os jovens do mundo inteiro. Entre outras coisas, é conhecida por ser amplamente frequentada pelo público gay e pelos fãs do naturismo. Trocando em miúdos, todo mundo se enrosca e tem gente pelada pra tudo quanto é lado!

Casal curtindo a praia peladão

 

Pausa pra um mergulho

 

Na maioria dos dias, exploramos as praias andando. Embora as caminhadas sejam longas e nem sempre existam trilhas. Fomos atravessando os pastos cheios de plantas com espinhos, pulando os muros que separavam as fazendas e, eventualmente, fugindo de um ou outro touro bravo. Também saímos de quadriciclo, mas dessa vez ele nos deixou na mão. Não teve força pra nos levar nas subidas mais íngremes e quebrou no final do dia. Tudo foi resolvido até bem rápido, trocamos por um novo e seguimos pra Chora (ou Mykonos Town). Chora significa simplesmente “cidade” em grego e é a principal vila da ilha. Cheia de lojas de grife e restaurantes bacanas, é maior e estava mais movimentada do que a gente imaginava. A atmosfera sofisticada se mescla com os jovens de orçamento curto e um ou outro mochileiro perdido por ali. Mas, o clima é cosmopolita e de festa e aceita todo mundo perambulando em suas ruas.

Entre um muro e outro pra pular, muito espinho e touro bravo no caminho!

 

Além das praias, algumas coisas simples no caminho também estavam cheias de beleza

 

 

Moinhos, a marca registrada de Mykonos Town - o local do agito

 

Não teve hotel bom pra nós lá. Ficamos em um camping, numa espécie de tenda militar não muito confortável. Mas, pra que ficar na cama quando lá fora tinha uma piscina bem bacana debruçada sobre uma das mais lindas praias que vimos: Paraga Beach. Demos uma esticadinha por quase uma semana, sem nunca nos acostumar com a vista deslumbrante do café da manhã. Aliás, a lista de praias de cair o queixo é enorme. Que lugar especial!

Nossa casa em Mykonos - cara de acampamento militar, mas com vista pro mar

 

E com piscina luxuosa que fervia com DJs durante a tarde

 

 

Isso é que é praia particular!

 

 

Nunca se sabe onde uma conversa pode te levar. Planejamos voltar pra Atenas, passar uma noite e partir no dia seguinte pra Meteora. No ferry, engatamos numa conversa de horas com um búlgaro que mora na Grécia. Chegando ao porto, primeiro ele nos ajudou a tentar encontrar um lugar barato pra passar a noite. Com a falta de uma boa opção, veio o convite: por que não dormem lá em casa? De fato, por que não!? Noite divertida de intercâmbio cultural com direito a ele nos ceder sua cama e ficar com o sofá. Pra melhorar, o apartamento ficava a 10 minutos de caminhada da estação de trem e bem perto do Museu Arqueológico Nacional. Como o trem só sairia no meio da tarde, tivemos o tempo que precisávamos pra visitar esse imperdível museu. Repleto de esculturas da Grécia clássica, muito bem organizado e cheio de boas orientações. Deu tempo até pra Letícia conversar com a família e ver pela primeira vez via Skype a recém nascida sobrinha Marcela. A pequena acabou de começar suas aventuras pelo mundo. Será que vem mais uma mochileira por aí?

Com o Tsanko na excelente acolhida do amigo búlgaro na volta pra Atenas

 

O Museu Arqueológico Nacional de Atenas é imperdível

 

Marcela descansando pras aventuras da vida que está só começando

Esse post foi publicado em Grécia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

22 respostas para a grécia que sempre sonhamos

  1. dora disse:

    Oi Letícia e Fred… que beleza..é um sonmho que sempre tive e ainda não concretizei.. mas, se Deus quizer, na próxima viagem minha e d meu esposo Osvaldo.. será na grécia.. Parabens… Que Deus abençoe vocês.. E a Marcela que show hein? amiga de sua mãe de Cabo Frio.. beijos e felicidades.. curtam mesmo a vida é presente..

  2. Ana disse:

    doidimaisdaconta!

  3. Sophia disse:

    Ai ai ai ….. também quero!!!!!! Letícia, parabéns pela sobrinha!!!! Beijocas

  4. Marcia Naves disse:

    O que posso dizer diante de tudo isso????
    Que eu quero ir também!
    Já estou começando a pensar sério neste assunto… Se não for de uma vez só, pq não fazer um roteiro de vida, a ser completado enquanto tivermos força para viajar? Seguir suas dicas já é um bom começo.
    Pleonasmos e repetições a parte, sensacional viagem!

  5. Rômulo disse:

    Amigos, que visual!!! Continuo viajando com vocês, pelas fotos e pelos relatos.

    Abraços

  6. glauco campos disse:

    Os afazeres da labuta diária fizeram com que eu perdesse capítulos importantes dessa Volta ao Mundo em 80 dias contemporânea, mas hoje consegui retornar.
    Concordo com o comentário do Hermógenes: começa a ficar redundante dizer que tá tudo muito bonito, bem escrito, etc. Esses elogios poderiam já ser considerados pleonasmos?? rs
    Parabéns! Show de bola!!!

  7. Hermógenes disse:

    Peço perdão pelo comentário que está se tornando lugar comum: tudo bem escrito, tudo consistente, tudo muito bem registrado; tudo, enfim, saboroso de se ler e de se ver.
    O avô, abestalhado, se une à nora e ao filho (comentário anterior) e agradece a presença da neta Marcela no documento que vocês, com beleza e admirável competência, estão produzindo.
    A avó, que tenho certeza assina a minha apreciação, está cada vez mais perto de vocês!!!
    Beijos

  8. Luciana e Gustavo disse:

    Fred e Leticia..
    Que lugar lindo , hein!!!! amei
    Imagino vocês como estão curtindo, ne???
    E no final…. nao poderia deixar de me emocionar ( para variar) quando vi a foto da Marcela.
    beijossssssssssssssssss

  9. Dani Alouf disse:

    Finalmente liberaram meu acesso ao blog!!! Ja tava passando mal sem conseguir ver o que vcs andam fazendo por aí…
    Se bem que não sei se isso foi bom, to com uma inveja NEGRA!!!!!!!!! Daria meu reino pra estar na Grécia agora. Quem sabe um dia eu chego lá… :)
    Saudade enorme!!!!!!!!!
    Beijos

  10. Amanda disse:

    Vocês ficaram peladões??? ahahahha

  11. Leandro e tatiana disse:

    Pessoal…estamos pensando seriamente em dar um pulo ai! Hhehegeehe!!! Que maravilha!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s