oásis: vida no deserto


Navegando pelo Nilo, 08 de abril de 2011

Viajar pelo Deserto do Saara é uma desolação só. Tudo o que se vê e sente na monótona paisagem é o mar de areia, o sol abrasador e o ar seco poeirento. Depois de algumas sonolentas horas assim, nos pareceu uma miragem quando começaram a surgir os primeiros sinais de verde no horizonte. Em pouco tempo, estávamos em meio a um palmeiral sem fim. Era o Oásis de Bahariya.

Só no Egito pra ter uma vista dessas da janela do ônibus...

A imagem que a gente fazia de um oásis era de meia dúzia de palmeiras em torno de um laguinho. Que nada! É muita água formando pequenos rios e grandes lagoas e irrigando uma área enorme. Ao longo de milhares de anos, cidades cresceram ao seu redor, vivendo da agricultura, criação de animais e do comércio. Tudo isso sem praticamente uma gota de chuva. A água brota do chão ou, como é comum hoje, é sugada das profundezas da Terra por máquinas que trabalham incessantemente.

Água no deserto

Mohamed, um sempre sorridente amigo que fizemos por lá, nos levou pra um passeio de tuc-tuc por entre as palmeiras nas terras de sua família, nas fontes de água – muitas delas termais – e na praia à beira do lago. Lá rolava um churrasquinho com chá, a bebida consumida em nove de cada dez ocasiões com os egípcios. Afinal, era sexta-feira, dia de folga. É… não é no mundo inteiro que os finais de semana são aos sábados e domingos. O visual é bonito, mas sendo bem sinceros, não chega a ser especialmente marcante. O que surpreende é que aquilo exista no meio do Saara, onde Mohamed viu chuva pela última vez quando era criança!

Andando pelo palmeiral

O Mohamed é só alegria em seu tuc-tuc

Churrasquinho com chá – o whiskey beduíno (sem álcool, é claro)

Desertos Negro e Branco

Se o oásis em si não é de uma beleza espetacular, o Deserto Negro e, principalmente, o Deserto Branco são inesquecíveis e é atrás deles que os viajantes vão ao visitar essa região distante. Saímos em uma pequena excursão em um 4×4, acompanhados do motorista e do cozinheiro. Passeio de dois dias. Ou seja, lá fomos nós pra mais uma noite acampados no deserto! Aliás, acampados não, porque dessa vez não teve tenda ou barraca. Dormimos ao relento em nossos sacos de dormir, contando estrelas e vendo ou ouvindo as raposas passarem por nós de tempos em tempos.

Começamos o dia no Deserto Negro, que recebe esse nome por ter sua areia enegrecida pela erosão de suas incontáveis montanhas que se espalhavam a perder de vista. O calor seco castigava, mas valeu o esforço de subir em uma delas pra apreciar o lindo panorama do alto. Meia hora e um litro de água depois, voltamos ao carro pra seguir viagem.

Deserto Negro

E como fazia calor...!

O Deserto Branco é ainda mais encantador. O primeiro impacto veio ao nos darmos com uma cena de cinema. Grandes rochas saíam verticalmente do chão, destacando-se da areia dourada. Aos poucos, o cenário vai ficando realmente branco, com figuras surreais brotando do chão nas diversas formas que a imaginação for capaz de nomear. Vimos cogumelos, árvores, camelos, navio etc., todos feitos de pedra e em escala gigantesca. Pernoitamos entre essas esculturas da natureza, curtindo o melhor da luz do final e do começo do dia ali.

Um cogumelo?

Quem sabe uma árvore com uma galinha?

São centenas de formas, vai batizando você também!

O jantar tá quase pronto...

...e os convidados já estão chegando

Já na volta, paramos em uma fonte de água em que uma excursão de velhinhos se refrescava do calor sufocante e despudoradamente trocava de roupa ali mesmo. Mesmo com esse pequeno show à parte, sabe-se lá exatamente por qual razão, fomos nós as vítimas de alguns paparazzis. Essa não foi a única vez que sem a menor cerimônia começaram a nos filmar e fotografar. Preferimos acreditar que estão impressionados com a nossa beleza!

A princípio, nosso plano era seguir de oásis em oásis até Luxor, no sul do Egito. Mas, problemas pra sacar dinheiro nos levaram de volta ao Cairo, onde embarcamos em um confortável trem noturno direto pra Asuán, quase na fronteira com o Sudão. No próximo post a gente conta o que aconteceu desde então e como viemos parar em uma suíte de dois quartos de um cruzeiro pelo Nilo, gastando muito pouco e comendo do bom e do melhor!

Esse post foi publicado em Egito e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

18 respostas para oásis: vida no deserto

  1. Gente, quanta paisagem incrível!!! Que lindo é o deserto branco!! Adorei!
    Bjos

  2. eliane Moraes Leite disse:

    Letícia e Fred

    Que paisagens lindíssimas !!!!! Estou cada vez mais amando seu blog!!!!!
    Aproveitem, aproveitem…. Beijos

  3. Shirley disse:

    Eu sei que vcs nem me conhece, mas estou acompanhando vcs, aguardo ansiosamente por mais noticias e fotos… boa viagem para vcs.

    Abraço!

  4. Clarissa disse:

    Nossa, realmente muito linnndo !!!!!! Fantástico !!!!! Adorei !!!!!! Bjos……

  5. Jeferson Vinhas disse:

    Lê e Fred,
    Continuamos nos deliciando com suas palavras e fotos..
    Estarei em SP nesta semana e quase te liguei pra combinar uma cervejinha..hehe..
    Tomarei uma por você em homenagem a este clima propício que estás vivendo por aí..
    Grande beijo e boa viagem..

    Jeff, Lili e Daniel

  6. Marina disse:

    Oi Fred , oi Letícia, fotos sensacionais no deserto!!! São fotos raras pois não é destino de viajem para 99,9% das pessoas. Mas não deu medo não?
    Continuo acompanhando vocês e querendo sempre mais e mais…..
    Tenham ótimo final de semana e… vamos que vamos para os próximos capítulos rsrsrsrsr

    Abraços

  7. Alexsander disse:

    Ah, e vê se aluga alguma coisa na Toscana com dois quartos, sendo um especialmente dedicado às visitas!!!! Hehe

    • Teria sido fantástico se vc viesse tb! Qto à casa na Toscana, se não tiver 2 quartos, a gente aperta na sala mesmo! Pra quem já dividiu um quarto com 14, isso é moleza! ehehehe
      Gostei de ver q c tá animado!
      Abração!

  8. Alexsander disse:

    Até que vc sabe escrever mais ou menos… Hehehe. Post massa pra caralho!!!! E que inveja do pedaço da viagem em que quase me incluí :-(
    Divirtam-se!!!
    Beijos,
    Alex.

  9. Avisa pro Egito que mais ou menos daqui um mes to chegando ai!!
    Um abraco do Marba

    • Avisado! Tão perguntando se vc não quer fazer um passeio de faluca… Cheap price!
      (qdo vc chegar aqui, vai entender mto bem do q eu to falando…)
      Abração e boas viagens!

  10. mariaelisa disse:

    Fredoca, seu blog tá inspirador! tô animando uma voltinha mundo a fora tb! boa sorte aí pra vcs!

    bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s